Pesquisar no Blog do J.A.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

PRESERVADOS VIVOS PARA SERMOS ÚTEIS A ELE



O apóstolo Paulo recebeu a revelação da economia neotestamentária de Deus diretamente do Espírito quando foi arrebatado ao terceiro céu (2Co 12:1-4). Ele sabia que não deveria voltar a praticar as ordenanças do Antigo Testamento. Assim, transmitiu essa revelação por meio das palavras que ministrou às igrejas e também nas epístolas que escreveu. Apesar disso, em sua terceira viagem missionária, Paulo foi influenciado pela esfera dos judaizantes existente na igreja em Jerusalém.
Paulo já havia feito duas viagens apostólicas, tendo sido acompanhado por Silas em sua segunda viagem. Na terceira, porém, Silas não o acompanhou, talvez por perceber que algo não estava adequado. Antes da terceira viagem, Paulo solicitou às igrejas da região da Macedônia que se fizessem coletas de ofertas, as quais ele levaria para Jerusalém. Os irmãos da região da Macedônia eram pobres, mas ofertaram com abundância, rogando ao apóstolo, mais de uma vez, a graça de participarem da assistência aos santos (2Co 8).
Em Jerusalém, Tiago aguardava Paulo, havendo ali dezenas de milhares de judeus que haviam crido no Senhor e eram zelosos da lei. Naquela ocasião, pressionado pelas circunstâncias e pelo ambiente voltado para as práticas do Antigo Testamento, Paulo esteve prestes a cometer um erro muito grave, aceitando um voto de nazireado no templo e arcando com as despesas desse voto para outras quatro pessoas. Deus, em Sua soberania, não permitiu que Paulo concluísse esse voto, por isso, antes que se completassem os dias do ritual de purificação, ele foi preso. Mesmo após isso, Deus exerceu Sua soberania sobre a vida de Paulo, não permitindo que o matassem em Jerusalém.
Durante seu aprisionamento, Paulo foi interrogado pelas autoridades romanas, mas, porque apelara para César, foi encaminhado de navio para Roma. No trajeto a vida de Paulo foi novamente preservada por Deus. Mesmo sendo prisioneiro, o poder de Deus se manifestou de modo extraordinário na pessoa de Paulo. Ele foi usado pelo Senhor na ilha de Malta, onde realizou vários sinais e milagres. Em Roma, enquanto aguardava seu julgamento, Paulo permaneceu em prisão domiciliar, onde escreveu as epístolas que completam a revelação neotestamentária transmitida pelo Espírito (At 28:30-31).
Se Paulo tivesse concluído o voto de nazireado em Jerusalém, seu ministério estaria perdido; além disso, toda revelação transmitida a ele não seria colocada em livros. O Senhor, porém, não permitiu que isso ocorresse, pois ainda desejava usá-lo. Damos graças a Deus pala Sua soberania e misericórdia, pois, mesmo quando erramos, Ele nos dá uma nova oportunidade para nos arrependermos e nos tornarmos úteis em Sua obra.

Conselhos Bíblicos