Pesquisar no Blog do J.A.

Carregando...

quinta-feira, 24 de julho de 2014

O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE A FOFOCA...

O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE A FOFOCA...

As mulheres certamente não são as únicas culpadas de fofocar. 

Qualquer pessoa pode acabar participando de uma fofoca ao repetir algo escutado em segredo. 

O livro de Provérbios tem uma longa lista de versículos sobre os perigos da fofoca e potencial dano que pode resultar. 

"O que despreza o seu próximo carece de entendimento, mas o homem entendido se mantém calado. 

O mexeriqueiro revela o segredo, mas o fiel de espírito o mantém em oculto" (Pv 11:12-13).

A Bíblia nos diz que "o homem perverso instiga a contenda, e o intrigante separa os maiores amigos" (Pv 16:28).

 Muitas amizades já foram destruídas por causa de algum engano que começou com uma fofoca. 

Aqueles que se entregam a esse comportamento nada mais fazem além de criar confusão e causar ira e amargura, sem falar da dor, entre amigos. 

Triste dizer que alguns adoram isso e procuram por oportunidades de destruir outras pessoas. 

Quando confrontados pelo seu hábito, negam essas alegações e respondem com desculpas e racionalizações. 

Ao invés de admitir o erro, culpam algo ou alguém mais na tentativa de minimizar a seriedade do pecado. 

"A boca do tolo é a sua própria destruição, e os seus lábios um laço para a sua alma. 

As palavras do mexeriqueiro são como doces bocados; elas descem ao íntimo do ventre" (Pv 18:7-8).

O que guarda a sua boca e a sua língua guarda a sua alma das angústias (Pv 21:23). 

Dessa mesma forma devemos guardar nossas línguas e deixar de participar nesse ato pecaminoso de fofocar. 

Se entregarmos os nossos desejos naturais ao Senhor, Ele vai nos ajudar a permanecer retos. 

Que todos nós possamos seguir o ensinamento da Bíblia sobre fofocas, mantendo nossas bocas fechadas a menos que seja necessário e adequado falar.


Pb Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

quarta-feira, 23 de julho de 2014

FRASES


AÇÃO DE GRAÇAS NA ORAÇÃO FAZ O FARDO TORNAR-SE LEVE.


Pb Donizetu (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

As Virtudes da Cruz para Nós - 1/5

Como seres humanos, a auto condenação é comum em nós.
A realidade das nossas falhas à medida que andamos com Deus, e a pressão do nosso relacionamento com outras pessoas, nos leva a sentimentos onde nos sentimos indignos e nos culpamos. Perdão é um ato de Deus.
Em Cristo, Ele purificou todos os nossos pecados quando nos aproximamos em arrependimento e confissão. Ele nunca deixará de nos purificar e colocar um sentimento de liberdade e paz em nossos corações.
Contudo, o inimigo de nossas almas tentará trocar os nossos sentimentos de que somos perdoados para um de condenação e escravidão. É neste ponto que precisamos nos apoderar do perdão. Satanás tentará nos convencer de que, de algum modo, nós precisamos pagar pelos nossos pecados.

Entretanto, isto é um total contradição dos ensinos da Bíblia Sagrada e sobre tudo um deturpação do trabalho de Jesus no Calvário.
"Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça." (1 João 1:7-9)
Temos um Salvador que neste momento está mencionando os nossos nomes diante do Pai, sendo nosso intercessor.
"Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo." (1 Jo 2.1)


Amém.

O MISTÉRIO DO TEMPO

Texto de referencia Ec 3.1-15
E, as vezes parecemos apenas peões.
O tempo é um tirano que nos tem sob seu controle.
Pouco a pouco ele nos faz sentir e parecer mais velhos enquanto implacavelmente nos empurra em direção ao dia da nossa morte.
O tempo determina quando plantarmos e quando colhermos,  quando rirmos e quando chorarmos, quando guardarmos ou jogarmos fora ( Ec 3.1-8).
E, as vezes parecemos apenas peões desamparados, num tabuleiro cósmico.
Mas quando entendemos que Deus,  que criou o tempo e controla tudo, é nosso amigo, tudo perece diferente.
Salomão disse que:  "Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo" (Ec 3.11).
Isso nos possibilita confiar em Deus para tecer seu proposito de amor para nos na tapeçaria do tempo.
Há vezes em que a beleza pode ser claramente identificada, mas há outras em que o seu desenho permanece um mistério, por causa das nossas limitações humanas.
Tenho um amigo que se encontra nesse dilema.
Ele ainda é relativamente jovem mas tem uma doença incurável, que segundo os médicos não permitirá que ele viva mais do que dois anos. 

Estamos orando por sua cura, mas ele esta pronto para estar com Cristo.
Outro dia ele disse alegremente; " Estou numa situação de vitória."
Não há como perder.
O por que?, permanece um mistério para ele, mas ele esta absolutamente  convencido que Deus fez "Tudo formoso no seu devido tempo".


Pb Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

terça-feira, 22 de julho de 2014

PODER DA ORAÇÃO



"A única preocupação do diabo é evitar que os cristãos orem. 

Ele não tem nenhum medo de estudo sem oração, trabalho sem oração e religião sem oração. 

Ele ri de nosso esforço, zomba da nossa sabedoria, mas treme quando oramos!". 

(Samuel Chadwick).


Pb Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

FRASES


DEUS NÃO NOS PEDE PARA SUPORTARMOS OS FARDOS DE AMANHÃ COM A FORÇA QUE TEMOS HOJE.


Pb Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

Quem somos em Cristo?

Somos Separados do mundo

Somos embaixadores de Cristo, 2 Co 5.20.

Fomos crucificados para o mundo e suas ofertas, Gl 6.14.

Estamos assentados nas regiões celestes com Cristo (santificação posicional), Ef 2.6.

Somos cidadãos dos céus, e ansiamos pela nossa cidade futura, 2 Pe 3.12.

Somos vencedores do mundo, 1 Jo 5.4-5.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

USOS E COSTUMES DOS TEMPOS BÍBLICOS

TRIBUTAÇÃO

Pessoas eram empregadas na cobrança de impostos.

Nos primeiros dias das história de Israel, os tributos só serviam para sustentar o Tabernáculo e o Templo (Dt 14:22-27;   18:1-5).

Quando o povo pediu um rei, Samuel os advertiu que teriam de pagar novos tributos (Sm 8.15) e foi o que aconteceu.

O programa de construção e o estilo de vida de Salomão (1 Rs 4.22-28) exigiam impostos elevados.

Cobradores de impostos foram nomeados pelo rei para doze distritos (1 Rs 4.7-19) e o preço dos tributos ficou tão alto  que provocou uma revolta, o qual dividiu o reino logo depois da morte de Salomão (1 Rs 12.4).

Existe evidências de que esta forma de tributo continuou no reino de Judá e Israel.

Os traços encontrados num armazém samaritano incluíam recibos para óleo e vinho e as alças dos jarros descobertos em Judá indicavam que eles continham óleo e vinho enviados ao rei.

Até a primeira sega da erva  perece ter sido taxada nos dias de Amós  (Am 7.1).

A forma de tributo mais rejeitada era o pagamento de dinheiro para receber proteção.

Esta era uma pratica dos reis poderosos para  para forçar seus vizinhos a pagar-lhes impostos.

Qualquer infração seria considerada como rebelião, seguindo se a ela uma expedição primitiva do exercito do estado mais poderoso.

Tiglate-Pilneser da Síria extraiu este tributo de Israel durante o reinado de Menaém (2 Rs 15.19-20) e Neto do Egito fez a mesma  a Joacaz de Judá  (2 Rs 23.33-35).

Nos dias do Novo Testamento,  o tributo por meio de impostos tinha que ser pago para o Império Romano.

Os oficiais romanos vendiam o direito de cobrar taxas numa determinada área  a que pagasse melhor.

O cobrador-chefe de impostos  (chefe dos publicanos)   teriam então que entregar uma certa quantidade de dinheiro.

Eles empregavam pessoas do local como cobradores (publicanos)  e tanto o chefe como os cobradores cobravam em excesso, de modo que tinham um bom lucro embora entregando o que era requerido pelo governo.

Zaqueu, como cobrador-chefe, admitiu sua fraude devolvendo quatro vezes o que recebera (Lc 19.8).

Levi deve ter sido um cobrador local (Lc 5.28).

Os judeus odiavam os publicanos, não só porque eles extorquiam dinheiro, mas também por serem considerados traidores e aliados do poder de ocupação.

O nome publicano era ,  portanto, desprezado.

Os líderes judeus não podiam aceitar a amizade de Jesus com tais pessoas (Mt 9.11; 11.19; 21.31).

A rejeição dos publicanos não era inteiramente justificada.

João Batista falou de modo geral da necessidade de  os publicanos não serem  gananciosos (Lc 3.12-13).


Pb Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

FRASES


AS PESSOAS NÃO SE IMPORTAM MUITO COM O QUE VOCÊ SABE, ATÉ QUE VOCÊ MOSTRE O QUANTO SE IMPORTA COM ELAS.


Pb Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

3 5 0 . 0 0 0 A C E S S O S !

350.000

Nós do J.A. agradecemos a todos vocês que no incluíram em suas vidas, na sua rotina de alimentação pela Palavra de Deus.

350.000 acessos é um marca muito grande para um trabalho tão simples como o nosso, mas sabemos que aquilo que fazemos é para a glória do Reino de Deus e para a edificação de seus filhos aqui na terra.

Um grande abraço a todos e muitos bens para todos nós.

Jonathas Januário Pereira

Conselhos Bíblicos