Pesquisar no Blog do J.A.

segunda-feira, 3 de março de 2014

COMO CAMINHAR

Pedro Caminhou sobre as águas

Texto: Mt 14.25-35

A Bíblia lista várias caminhadas vejam

Na caminhada de Deus no Édem, ele chamou por Adão
Na caminhada de Abraão, ele caminhou deixando sua terra para ir a Canaã.

Na caminhada de Moisés, ele caminhou do Egito ao deserto
A caminhada de Josué, em volta dos muros de Jericó.

A caminhada de dois discípulos no caminho de Emaús.

A caminhada interrompida de Paulo a Damasco.

A caminhada triste e santa do pretório ao gólgota via dolorosa.

Mas caminhar sobre as águas? Isso é interessante!

Na vida de quem Deus quer usar e melhorar há sempre algo.

Há sempre um chamado: Abraão sai da tua terra... Adão onde estas?...Lázaro sai...

Há sempre medo: Moisés disse: sou pesado de língua... Os espias: são gigantes...Adão: Tive medo e me escondi.
Há sempre encorajamento: Vou com vocês Moisés, gideão... Discípulos. Estarei convosco...

Há sempre uma vida transformada: Pedro, Mateus, Paulo, Maria Madalena.

Deus sempre se apresenta de forma a chamar a atenção na sua teofania

A Abraão ele apresenta-se como anjo.

A Moisés no fogo no meio da sarça.

A Josué apresenta-se como capitão do exército.

A Pedro e aos discípulos no mar de madrugada.

Todos sentiram medo, mas quando disseram sim ao chamado experimentaram o poder.

"Jesus aparece aos discípulos no último momento, três horas da manhã, o limite humano é o lugar mais freqüente para encontrar Deus". (Dale Bruner).

Pedro reconheceu Jesus na tempestade, aventurou andando sobre as águas. Precisamos reconhecer Jesus na tribulação, ele está conosco.

Pedro deixou o barco apesar da tempestade, no barco era melhor que na água; o que precisamos deixar? 

Qual o seu barco? 

O emprego, bens, família, amigos? 

O barco não é o lugar mais seguro.

Você pode ficar em sua casa sem fazer nada, mas corre o risco de se acidentar sem fazer nada. 

Talvez você resolva sair do barco como Pedro. 

Tudo ia bem, mas reparou na tempestade, e quase foi para o fundo. 

Você começa o novo cargo, novo ministério, mas derrepente vem a tempestade, os problemas. 

Pedro sabia caso afundasse, Jesus seria a pessoa certa para ajudá-lo.

Quando você começar afundar nos problemas, Jesus é a pessoa certa.

Pedro experimentou a Glória de sair do barco, a glória de ser erguido por Jesus.

Será que os amigos de Pedro caçoaram dele depois de afundar?

Os discípulos tiveram de esperar Jesus acalmar a tempestade. 

Primeiro Pedro andou sobre as águas, aconteceu tudo aquilo que levou tempo, e só depois Jesus entra no barco e acalma a tempestade.

Pedro não pede promessa, garantia de não afundar, mas ordem: manda-me.

Andar sobre as águas implica coragem e reconhecer o chamado. 

Para alguns, Pedro agiu no impulso, para outros pela fé. 

Pedro disse: convida-me. 

E creu que também podia andar, e andou.

Qual o pensamento de Pedro quando estava andando sobre águas? 

O vento no rosto, água solidificada, o ar espantado dos amigos, talvez pensasse: não acredito!, eu? 

Funcionou! 

Estou andando! 
É o messias mesmo. 

Como é isto? 

O olhar de Jesus estava radiante. 

Por ver seu discípulo confiar nele.

Ouvimos sobre o poder de Deus. 

"Olhando ele para a terra, ela treme; tocando nos montes, logo fumegam" (Sl 104:32). (S l46). 

Mas ver e ouvir não bastam, é necessário experimentá-lo. 

Os discípulos apesar de verem milagres, apavoraram. 

"E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. 

E o vento se aquietou, e houve grande bonança". (Mc 4:39). 

Israel apavorou com a morte de Moisés. 

"Não to mandei eu? 

Esforça-te, e tem bom ânimo; não pasmes, nem te espantes: porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares" (Js 1:9).

Para experimentar o poder de Deus é necessário dar o passo.

Moisés- teve de lançar a vara e depois apanhá-la.

Israel - teve que marchar, depois o mar abriu-se!

Naamã- teve que mergulhar sete vezes, depois a cura.

Gideão- de trinta e dois mil reduziu o exército a trezentas antes de derrotar os medianias.

Os Pães e peixes entreguem antes de serem multiplicados.


Reparando no vento

Porque Pedro preocupou com o vento? 

Ele estava andando por cima das águas, venceu as leis da física.

As crianças pequenas quando estão aprendendo a andar, quando caem nunca pensam: puxa vida! 

Nunca mais vou andar. 

Elas se levantam e andam até ser perfeita. 

Nós somos diferentes, tropeçamos e desistimos. 

As crianças se divertem, mas quanto mais crescemos, mas temos medo.

A primeira atitude de Jesus foi salvar Pedro e depois repreender. 

Primeiro Jesus nos salva depois nos repreende. 

A salvação e o perdão evidenciam o amor de Deus.

Quando Pedro sai do barco, fracassou, e Jesus ajuda a descobrir seu fracasso. 

Pouca fé. 

Não ganhou nota dez, mas pelo menos estava melhor que seus companheiros, tinha pouca fé, mas ao menos tinha fé. Seus colegas zero fé.

A esperança tirou Pedro do barco.

A confiança o sustentou.

O medo o afundou, o medo e a dúvida é o curto circuito que corta a ligação o poder de andar nas águas.

Todos nós odiamos esperar. 

No trânsito, no médico, e até ficamos alegres quando Mateus fala que imediatamente Jesus disse sou eu, ou imediatamente ajuda Pedro.

Os discípulos esperaram Jesus. 

Pedro esperou ser chamado para sair do barco.

Esperar é a tarefa mais difícil da esperança. 

"Descansa no Senhor, e espera nele, não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos.

Espera no Senhor, e guarda o seu caminho, e te exaltará para herdares a terra; tu o verás quando os ímpios forem desarraigados" (Sl 37:7, 34).

Abraão teve de esperar vinte e quatro anos para o cumprimento da sua promessa.

" Havia em Jerusalém um homem cujo nome era Simeão; e este homem era justo e temente a Deus, esperando a consolação d'Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele" (Lc 2:25), "Simeão esperava a consolação de Israel. 

Depois que Jesus veio a espera continua. 

E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que disse ele de mim ouvistes". (At 1:4).

"E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo. 

Porque em esperança somos salvos. 

Ora a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê como o esperará? 

Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos" (Rm 8:23-25). 

Porque Deus nos faz esperar? 

Porque não nos alivia com a resposta? 

Porque o que Deus faz em nós enquanto esperamos é tão importante quanto àquilo pelo qual esperamos.

"Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os mancebos certamente cairão. 

Mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças, subirão com asas como águias: correrão e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão" (Is 40:30, 31) os que esperam no senhor voam como as águias, 130 km por hora. 

O espírito te impulsiona para o ar. 

"O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz; mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito". (Jo 3:8).




Pb Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

Conselhos Bíblicos