Pesquisar no Blog do J.A.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Quatro atitudes ...

... que o Homem pode assumir quanto a operação divina:

1. Hostilidade (At 5.17-28)

"E, levantando-se o sumo sacerdote, e todos os que estavam com ele (e eram eles da seita dos saduceus), encheram-se de inveja, E lançaram mão dos apóstolos, e os puseram na prisão pública. Mas de noite um anjo do Senhor abriu as portas da prisão e, tirando-os para fora, disse: Ide e apresentai-vos no templo, e dizei ao povo todas as palavras desta vida.E, ouvindo eles isto, entraram de manhã cedo no templo, e ensinavam. Chegando, porém, o sumo sacerdote e os que estavam com ele, convocaram o conselho, e a todos os anciãos dos filhos de Israel, e enviaram ao cárcere, para que de lá os trouxessem. Mas, tendo lá ido os servidores, não os acharam na prisão e, voltando, lho anunciaram, Dizendo: Achamos realmente o cárcere fechado, com toda a segurança, e os guardas, que estavam fora, diante das portas; mas, quando abrimos, ninguém achamos dentro. Então o sumo sacerdote, o capitão do templo e os chefes dos sacerdotes, ouvindo estas palavras, estavam perplexos acerca deles e do que viria a ser aquilo. E, chegando um, anunciou-lhes, dizendo: Eis que os homens que encerrastes na prisão estão no templo e ensinam ao povo. Então foi o capitão com os servidores, e os trouxe, não com violência (porque temiam ser apedrejados pelo povo). E, trazendo-os, os apresentaram ao conselho. E o sumo sacerdote os interrogou, Dizendo: Não vos admoestamos nós expressamente que não ensinásseis nesse nome? E eis que enchestes Jerusalém dessa vossa doutrina, e quereis lançar sobre nós o sangue desse homem."

A ameaça que o Cristianismo, embrionário ainda, representava na figura dos apóstolos e principalmente do apóstolo Pedro causava temor e inquietação, pois o poder demonstrado por eles cativava o povo, coisa que os sacerdotes não estavam conseguindo fazer.

Prenderam-os em uma atitude de desesperada de conter o avanço da Igreja, daí uma vez no cárcere, os apóstolos são libertos por um anjo do Senhor - um milagre. Milagre esse que perturbaria os saduceus uma divisão do judaísmo que não crê em anjos.

Agiram com hostilidade com medo de perder sua posição social ante as ações do Espírito Santo por intermédio do apóstolos, as testemunhas de Cristo.

2. Obediência (At 5.29-32)

"Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens. O Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus, ao qual vós matastes, suspendendo-o no madeiro. Deus com a sua destra o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados. E nós somos testemunhas acerca destas palavras, nós e também o Espírito Santo, que Deus deu àqueles que lhe obedecem."

A escolha de Pedro em obedecer o Senhor acima das imposições legais impostas pelos sacerdotes mostra uma obediência a Jesus e o Evangelho independente da situação.

E afirma que o Espírito Santo foi dado aos que são obedientes as suas palavras.

3. Neutralidade (At 5.33-39)

"E, ouvindo eles isto, se enfureciam, e deliberaram matá-los. Mas, levantando-se no conselho um certo fariseu, chamado Gamaliel, doutor da lei, venerado por todo o povo, mandou que por um pouco levassem para fora os apóstolos; E disse-lhes: Homens israelitas, acautelai-vos a respeito do que haveis de fazer a estes homens, Porque antes destes dias levantou-se Teudas, dizendo ser alguém; a este se ajuntou o número de uns quatrocentos homens; o qual foi morto, e todos os que lhe deram ouvidos foram dispersos e reduzidos a nada. Depois deste levantou-se Judas, o galileu, nos dias do alistamento, e levou muito povo após si; mas também este pereceu, e todos os que lhe deram ouvidos foram dispersos. E agora digo-vos: Dai de mão a estes homens, e deixai-os, porque, se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará, Mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la; para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus."

Gamaliel, o tão sábio, nada mais expressou do que o seu egoísmo sob o disfarce de cauteloso bom juízo. Tinha medo do povo, tinha crédito com o sábio entre os sacerdotes como tal e não quis se posicionar e errar.

Vimos no ponto anterior a obediência e posicionamento firme dos apóstolos, estavam do lado de Cristo em qualquer circunstância.

Outrossim, Gamaliel acertou que "essa obra" de Deus é impossível de ser desfeita, destruída ou terminada. O esteio principal do Cristianismo não morreu, mas está vivo!

4. Cooperação (At 5.40-42)

"E concordaram com ele. E, chamando os apóstolos, e tendo-os açoitado, mandaram que não falassem no nome de Jesus, e os deixaram ir. Retiraram-se, pois, da presença do conselho, regozijando-se de terem sido julgados dignos de padecer afronta pelo nome de Jesus. E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus Cristo."

Estavam vivendo o deslumbre de passarem o mesmo que Cristo passou e profetizou que seus seguidores passariam.

Haviam sido condenados ao cárcere, aos açoites, ao expurgo social no templo imposto pelos sacerdotes, ineficaz em si, tudo por amor de Cristo e seu Evangelho.

Quando somos afligidos somos "cooperadores dos sofrimentos" de Jesus, sendo odiados por sermos servos dEle, por falarmos como Ele, por não sermos como todos outros.
__________

Qual ou quais têm sido as nossas atitudes ante a operação divina?

Conselhos Bíblicos