Pesquisar no Blog do J.A.

sábado, 12 de julho de 2014

CURIOSIDADES



Para onde foram os descendentes de Noé após o dilúvio?
Descendentes de Noé até Jaca. 
Diversos países que eles ocuparam.
Os filhos dos filhos de Noé, para honrar-lhe a memória, deram os próprios nomes aos países onde se estabeleceram. 
Assim, os sete filhos de Jafé, que se estabeleceram pela Ásia desde o monte Tauro e o Amã até o rio de Tanais e na Europa até Gades, deram os seus nomes às terras que ocuparam e que não eram ainda povoadas.
Gomer fundou a colônia dos gôrneres, que os gregos cha­mam gaiatas. 

Magogue fundou a dos magogianos, a que chamam citas. 

Javã deu o nome à Jônia e a toda a nação dos gregos. 

Madai foi o fundador dos madianos, que os gregos chamam medas. 

Tubal deu o seu nome aos tubalinos, que agora se chamam iberos. 

Meseque deu o próprio nome aos mescinianos (o de capadócios, que eles têm agora, é novo), e ainda hoje uma de suas cidades tem o nome de Malaca, o que nos mostra que essa cidade antigamente se chamava assim. 

Tiras deu o seu nome aos tírios, dos quais foi o príncipe e que os gregos chamam trácios. 

Assim, todas essas nações foram fundadas pelos filhos de Jafé.
Gomer, que era o mais velho dos filhos de Jafé, teve três filhos:   Asquenaz, que deu o seu nome aos asquenázios, aos quais os gregos chamam reginianos; Rifate, que deu o seu nome aos rifanianos, aos quais os gregos chamam paflagonianos; Togarma, que deu o seu nome aos togarmanianos, aos quais os gregos chamam frígios.
Javã, outro filho de Jafé, teve quatro filhos: Elisa, Társis, Quitim e Dodanim. 

Elisa deu o seu nome aos elisamos, que hoje se chamam ecolianos. 

Társis deu o seu nome aos tarsianos, que hoje são os cilicianos, cuja principal cidade ainda hoje se chama Tarso. 

Quitim ocupou a ilha que agora se chama Chipre, à qual deu o seu nome, razão por que os hebreus chamam de Quitim todas as ilhas e todos os lugares marítimos.

Ainda hoje, uma das cidades da ilha de Chipre é chamada Citium por aqueles que dão nomes gregos a todas as coisas, que pouco difere do nome Quitim. 

Eis as nações de que os filhos de Jafé se tornaram senhores. 

Antes de retomar o fio de minha narração acrescentarei uma coisa que talvez os gregos ignorem: esses nomes foram mudados segundo a maneira de falar, para tornar a pronúncia mais agradável, pois entre nós não serão jamais mudados.
Ou espanhóis.
Os filhos de Cam ocuparam a Síria e todos os países que estão além dos montes de Amane e do Líbano até o oceano, dando-lhes nomes dos quais alguns são hoje inteiramente desconhecidos, e outros, modificados de tal modo que mal se poderiam reconhecer. 

Somente os etíopes, dos quais Cuxe, filho de um dos quatro filhos de Cam, foi príncipe, conservaram o nome ancestral, não so­mente naquele país, mas em toda a Ásia. 

Ainda hoje eles são chamados cuxeenses. 

Os mizraenses, descendentes de Mizraim, também conservaram o seu nome, pois nós chamamos Mizrau ao Egito e mizraenses aos egípcios. 

Pute povoou a Líbia e chamou a esses povos com o seu nome: puteenses. 

Existe ainda hoje, na Mauritânia, um rio que tem esse nome, e vários historiadores gregos o mencio­nam, como também ao país vizinho, a que chamam Pute, mas que depois mu­dou de nome, por causa de um dos filhos de Mizraim, Leabim. 

Direi em seguida por que lhe deram o nome' de África. [Canaã, quarto filho de Cam, estabeleceu-se na Judéia, a que chamou com o seu nome: Canaã].
Cuxe, o mais velho dos filhos de Cam, teve seis filhos: Sebá, príncipe dos sebaenses; Havilá, príncipe dos havilenses, que agora são chamados getulienses; Sabtá, príncipe dos sabataenses, a que os gregos chamam astabarienses; Raamá, príncipe dos ramaenses (que teve dois filhos, que moram entre os etíopes oci­dentais: um de nome Dedã e outro de nome Sabá, que deu nome aos sabaenses); Sabtecá. 

Quanto a Ninrode, sexto filho de Cuxe, ficou entre os babilônios e tor­nou-se senhor deles, como já o disse anteriormente.

Mizraim foi pai de oito filhos, que ocuparam todos os países que estão entre Gaza e o Egito. 

Mas somente um desses oito, Filistim, manteve o nome no seu país — os gregos deram o nome de Palestina a uma parte dessa província. 

Quan­to aos sete outros irmãos, chamados Ludim, Anamim, Leabim, Naftuim, Patrusim, Casluim e Caftorim, com exceção de Leabim, que fundou uma colônia na Líbia e lhe deu o seu nome, nada sabemos de suas obras, porque as cidades que cons­truíram foram destruídas pelos etíopes, como diremos a seu tempo.
Canaã teve onze filhos: Sidônio, que construiu na Fenícia uma cidade à qual deu o seu nome e à qual os gregos chamam Sidom; Hamate, que construiu a cidade de Hamate, que ainda hoje se vê e conserva o mesmo nome entre os que nela habitam embora os macedônios lhe chamem Epifania, nome de um de seus príncipes; Arqueu, que teve como herança a ilha de Aruda; Amom, que teve a cidade de Arce, situada no monte Líbano. 

Quanto aos outros sete irmãos, chama­dos Heveu, Hete, jebuseu, Arvadeu, Sineu, Zemarco e Girgaseu, só ficaram os nomes nas Sagradas Escrituras, porque os hebreus destruíram-lhes as cidades por motivo que depois direi.
Quando, depois do dilúvio, a terra foi restaurada ao seu estado primitivo, Noé cultivou-a como antes e plantou uma vinha, da qual ofereceu as primícias a Deus. 

Bebeu vinho que dela fez e, como não estava acostumado a uma bebida tão forte e ao mesmo tempo tão deliciosa, bebeu demais e ficou embriagado. Dormiu em seguida, tendo-se descoberto ao dormir, contra o que lhe permitia a decência. 

Cam, o mais novo de seus filhos, vendo-o naquele esta­do, zombou dele e mostrou-o aos irmãos. 

Estes, porém, ao contrário, cobriram a nudez do pai com o respeito que lhe deviam. 

Noé, ao saber o que se havia passado, deu-lhes a sua bênção, e a ternura paternal fê-lo perdoar Cam, conten­tando-se em amaldiçoar apenas os seus descendentes, que foram assim castiga­dos pelo pecado de seu pai, como iremos expor em seguida.
 Sem, outro filho de Noé, teve cinco filhos, que estenderam o seu domínio desde a Ásia, a partir do rio Eufrates, até o oceano Índico. 

De Elão, o mais velho, vieram os elameenses, e dele os persas tiveram a sua origem. 

Assur, o segundo, construiu a cidade de Nínive e deu o nome de assírios aos seus súditos, os quais foram extraordinariamente ricos e poderosos. 

Arfaxade, o terceiro, tam­bém chamou aos seus pelo seu nome, isto é, arfaxadeenses, que são hoje os caldeus. 

De Arã, o quarto, vieram os arameenses, aos quais os gregos chamam sírios, e de Lude, o quinto, vieram os ludeenses, que hoje são chamados lídios.
Arã teve quatro filhos, dos quais Uz, o mais velho, estabeieceu-se na Traconites e aí construiu a cidade de Damasco, que está situada entre a Palestina e a Síria, cognominada Coelem. 

Hul, o segundo, ocupou a Armênia. 

Geter, o terceiro, foi príncipe dos bactrianos. 

E Más, o quarto, dominou os mesanianos, cujo país hoje se chama o vale de Pasin.
Arfaxade foi pai de Sala, e Sala, pai de Éber, de cujo nome os judeus foram chama­dos hebreus. 

Éber teve por filhos Joctã e Pelegue, este nascido quando se fazia a divisão das terras, pois Pelegue em hebreu significa "partilha", joctã teve treze filhos: Almodá, Selefe, Hazar-Mavé, |erá, Hadorão, Uzal, Dicla, Obal, Abimael, Sabá, Ofir, Havilá e Jobabe, que se espalharam desde o rio Confem, que está na índia, até a Assíria.
Depois de haver falado dos descendentes de Sem, é preciso agora falar dos hebreus, descendentes de Éber. 

Pelegue, filho de Éber, teve por filho Reú. Reú teve Serugue, Serugue teve Naor e Naor teve Terá pai de Abraão, que assim foi o décimo desde Noé e nasceu duzentos e noventa e dois anos após o dilúvio, pois Terá tinha setenta anos ao nascer Abraão. 

Naor tinha vinte e nove anos quando teve Terá, Serugue tinha trinta anos quando teve Naor, Reú tinha trinta e dois anos quando teve Serugue, Pelegue tinha trinta anos quando teve Reú, Éber tinha trinta e quatro anos quando teve Pelegue, Sala tinha trinta anos quando teve Éber. 

Arfaxade tinha trinta e cinco anos quando teve Sala e Arfaxade, filho de Sem e neto de Noé, nasceu dois anos após o dilúvio.
Abraão teve dois irmãos: Naor e Harã. Este morreu na cidade de Ur da Caldéia, onde ainda hoje se vê o seu sepulcro, e deixou um filho de nome de Ló e duas filhas: Sara e Milca. 

Abraão desposou Sara, e Naor desposou Milca.
Terá, pai de Abraão, tendo concebido aversão pela Caldéia, porque lá perdera o filho Arã, deixou-a e foi com toda a família para Harã, na Mesopotâmia. 

E lá mor­reu, com a idade de duzentos e cinco anos — a duração da vida humana já ia pouco a pouco diminuindo, continuou a diminuir até Moisés, e foi então que Deus a reduziu a cento e vinte anos, o tempo que viveu esse admirável legislador. 

Naor teve de sua mulher, Milca, oito filhos: Uz, Buz, Quemuel, Quésede, Hazo, Pildas, Jidlafe e Betuel; de Reumá, sua concubina, teve Teba, Gaã, Taás e Maaca. Betuel, que foi o último filho de Naor, teve um filho de nome Labão e uma filha de nome Rebeca.

Flavio Josefho


Pb Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

Conselhos Bíblicos