Pesquisar no Blog do J.A.

Carregando...

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

REVELAÇÃO OU ADIVINHAÇÃO?

Sãos essas perguntas que me levaram a pesquisar este assunto com mais dedicação. E motivado pelo Espírito Santo, passo a escrever afim de tirar das dúvidas milhares de servos e servas de Deus que com temor e tremor reverenciam a palavra de Deus.

"E apiedai-vos de alguns que estão na dúvida, salvai-vos arrebatando-os do fogo, quanto a outros, tende misericórdia em temor detestando até a roupa manchada pela carne" (Judas 22.23).

O Senhor nosso Deus, desde os tempos remotos já advertia o seu povo a não dar ouvidos a adivinhadores; o seu povo não deveriam seguir a pratica das nações. As nações em volta do povo de Deus, eram dirigidas pelos agorreiros e adivinhos, porém o Deus todo poderoso não permitiu tal prática (Deuteronômio 18.14).

Deus queria que o seu povo andassem a luz da sua palavra, e fossem guiados pelo seu Espírito e, se assim o fizessem certamente seriam abençoados. Deus disse: ...Eu velo pela minha palavra para fazer cumprir (Jeremias 1.12).

O objetivo dos falsos profetas é fazer com que o caminho da verdade seja blasfemado, isso significa que as pessoas perderão o interesse pela palavra pregada. Inclusive, as pessoas perderão até a vontade de orar, confiando que os profetas em cada reunião já trazem a resposta de Deus para cada problema delas.

"Por ganância farão de vós negócio com palavras fingidas..." (1Pedro 2.3).

Esses adivinhadores dos nossos dias têm o mesmo espírito de Balaão. São movidos de ganância, adimiram as pessoas pelo que elas possuem. Quando esses profetas descobre que as pessoas possuem alguns bens, bajulam com palavras fingidas afim de serem beneficiados. Nunca profetizam contra o pecado, a não ser quando as pessoas são pobres aí sim, profetizam que estão em pecados. Então amedrontam e fazem fingir do meio deles.

Ai deles! Entraram pelo caminho de Caim; movidos de ganância foram levados pelo erro de Balaão, pereceram na revolta de Coré.

Estes são manchas em vossas festas de amor, (nos cultos) banqueteando-se convosco sem nenhum recato; pastores que se apascentam a si mesmo. São nuvens sem água, levadas pelos ventos; árvores em plena estação dos frutos, deste desprovidos e desairraigados, duplamente mortas.

São ondas furiosas do mar espumando as suas próprias sujidades, estrelas errantes, para as quais tem sido eternamente reservada a escuridão das trevas.

Concernente a estes profetizou Enoque, o sétimo depois de Adão: vede o Senhor vem com milhares de seus santos, para fazer juízo contra todos, e para fazer convictos todos os ímpios, acerca de todas as obras ímpias que impiamente praticaram e de todas as duras palavras que ímpios pecadores contra Ele proferiam.

Estes são murmuradores, queixosos, andando segundo as suas concupiscência, cuja boca diz coisas muito arrogantes, bajulando as pessoas por motivos interesseiros (Judas 11.16)


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

Conselhos Bíblicos