Pesquisar no Blog do J.A.

terça-feira, 31 de maio de 2016

A tentativa

"Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito."
Romanos 8.1

Qual o intento de Satanás ao nos tentar?

Ao lermos a carta do apóstolo Paulo para a igreja romana, vemos o alerta a respeito de vários itens no entorno da vida física e espiritual do cristão. Um destes aspectos é com relação ao efeito sanitário da Graça em relação aos pecados.

Quando aceitamos Jesus, somos redimidos e justificados. Os pecados da vida antes de Cristo não são mais levados em conta, são causas já julgadas e levadas pelo sacrifício no calvário.

Satanás, o tentador

A tentação é o método que Satanás usa para que tenhamos algo em nossa "ficha limpa" pelo sangue do cordeiro. Em termos jurídicos, ele nos faz produzir provas contra nós mesmos. Ele não tem poder sobre nós, então ele trabalha no livre arbítrio tentando, por meio de seus artifícios, criar em nós o desejo de realizar aquilo que ele quer, nos fazendo "querer" também.

Satanás, o acusador

Uma vez que ele alcança o objetivo de nos fazer escolher por suas vontades, somos automaticamente colocados no banco dos réus e o próprio Satanás, que agora, torna-se o Acusador. Ele promoveu ideia, ele sussurrou em nossos ouvidos que não teria problema, ele deu "boas" justificativas para o crime contra a santidade de Deus e nos colocou no banco dos acusados. Esse é o ofício dele.

A acusação

"Ele pecou contra Ti, ó Deus Altíssimo!" - Brada Satanás em alta voz. Essa é a tática dele, colocar o medo dentro do coração, instaurar um sentimento de rejeição precipitada e pré-programada dentro do coração do homem, para que o homem pense que "Deus nunca o aceitará por causa dos seus pecados".

O lembrete de Paulo

Nenhuma. Nada. Inexistência de acusações. Faltam provas, não há registros, não há indícios, não tem nada que possa ser usado contra os que "andam segundo o Espírito". Cristo levou, os pecados de antes da nova vida, Cristo perdoa os pecados depois da nova vida, intercedendo junto ao Pai, seu Espírito Santo nos faz lembrar disso e nos alerta para que não façamos mais.

Conclusão

Inocente! - Exclama Jesus diante de Deus.

A ação de Jesus no faz inocentes do pecados velhos, dos pecados novos, mas nos cobra a mudança de vida, arrependimento dos erros, conversão dos caminhos da perdição. Seu sangue tem poder de limpar, mas ele só limpa o que deixamos ser limpo.

Que tenhamos consciência de que nenhuma condenação há contra nós por que Jesus as levou e não por que nós somos santos e inocentes.

É por Ele que somos salvos da condenação do pecado.

Conselhos Bíblicos