Pesquisar no Blog do J.A.

sábado, 29 de maio de 2010

TRISTEZA DE ALMA

A tristeza de alma como a que os discípulos experimentaram com a morte iminente de Jesus é algo bem real (Lc 22.45). Deus sabe que sofremos quando estamos com o coração partido (Jo 11.19,31-35).

A dor, quando não é exprimida, muitas vezes causa enfermidades emocionais e físicas complexas. A libertação do sofrimento e a felicidade interior só são conseguidas quando se apresenta a situação a Deus para que, dela, ele produzia frutos em seu benefício (Jo 7.37-38). Quando Jesus usou as palavras do profeta Isaías para retratar a si mesmo e seu papel messiânico, incluiu a substituição dos sinais de sofrimento - cinzas, pranto e espírito angustiado - pro sinais de vitória: beleza, alegria e vestes de louvor (Is 61.1-3; Lc 4.18-22).

Jesus identifica-se com o seu coração angustiado, porque é "um homem de dores e que sabe o que é padecer" (Is 53.3). Ele entende quando você sofre (Is 53.4).

Jesus chorou (Jo 11.35) e ensinou seus filhos, pelo exemplo da cruz, a exprimir, abertamente, sua queixas, tristezas, ansiedades e temores (Mt 26.39; 27.46).

Quanto às mulheres, o pesar não está restrito à morte de um ente querido. Dele também faz parte o esfacelamento de algo que elas consideravam seguro, como o casamento, bens, emprego, saúde, relacionamentos e finanças.

Os cristãos devem lembrar que o sofrimento não é eterno. Ele é curado quando se experimenta a viva, intencional e infalível graça de Deus (2Co 12.9).

Fonte: "A Bíblia da Mulher" / editora SBB e MC - pág. 912;


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

sexta-feira, 28 de maio de 2010

O DÍZIMO ANTES DA LEI


1- Abraão pagou o dízimo a Melquisedeque (Gn 14.20; Hb 7.2, 4-6). Abraão não precisava dar nada para o sacerdote, mas ele viu que era dando que se recebe e todas as pessoas que enxergam deste jeito mais ela dá, mais ela tem.
O que é isto? É o segredo da prosperidade (Lc 6.38) Dai e dar-se-vos-á boa medida, recalcada, sacudida e transbordante, generosamente vos darão. Pois com a mesma medida que medirdes vos medirão também.
Quando você dá um presente, seja ele qual for, a pessoa que recebe, fica sorridente e agradece com um sorriso no rosto, você uma vez consegue conquistar esta pessoa para a sua confiança. Da mesma forma é Deus, ele tem prazer quando você entrega com alegria a sua oferta ou o seu dízimo para a sua obra.
Também com alegria ele repreende o devorador da sua vida. Ai eu lhe pergunto: Qual foi o homem que deu a melhor oferta, e até hoje não se queixou? Foi Deus que deu seu filho para salvar-nos e nos dá a vida eterna (Jo 3.16).

2- Jacó pagou o dízimo (Gn 28.20-22) - O VOTO DE JACÓ. Ele reconheceu que o dízimo estava relacionado com as bênçãos de Deus, tais como:

a) PROTEÇÃO: "Se Deus for comigo e me ajudar..."
b) ALIMENTAÇÃO: "E me der pão pra comer..."
c) VESTIMENTA: "E vestes para vestir..."
d) PAZ: "E que volte em paz à casa de meu pai."

Então o dízimo é motivo de bênção e expressão de agradecimento, quantas pessoas não estão ignorando sua responsabilidade de honrar a Deus com as primícias, o dízimo de sua renda, alegando motivo "justo" para a falta tão grave! Aliás, em meio à ignorância generalizada do povo de Deus quanto a este assunto de dinheiro, tão amplamente trata na Bíblia, o erro gritante, o mais sério entre todos, é justamente o que se refere às primícias da renda - aquilo que pertence ao Senhor

Fonte: Livro "Dízimos e Ofertas" / José Carlos de Oliveira - editora Vida, pág. 24 e 25;


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

O VALOR DA ALMA


Havia na Exposição Mundial em Chicago, um lugar no edifício de Fabricante de Artes Liberais, na exibição de Tiffany, onde não se podia chegar, nem de dia, nem de noite, por causa do grande número de pessoas que o cercava. Fui lá diversas vezes, mas só consegui olhar por cima da multidão. Qual seria motivo de tanto interesse? Toda a atenção voltava-se para um cone de veludo roxo, que possuía em seu vértice um diamante de preço quase incalculável. Compensava todos os esforços vê-lo.
Mas nunca me lembro de tudo isto, sem ter a recordação de que a alma do mendigo mais pobre da rua, ou da mulher caída e mais desprezada vale infinitamente mais do que dez mil jóias iguais aquela.
R. A. Torrey
1856 - 1928

Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

quinta-feira, 27 de maio de 2010

CONHECENDO E ENTENDENDO A BÍBLIA

SAIBA QUE:

Jesus quando disse em Mateus 5.18: "Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem J ou um til se omitirá da lei sem que tudo seja cumprido", ele esta afirmando que não somente os assuntos ou pensamentos transmitidos eram inspirados, mas também as letras individuais, pois J é a menor letra do hebraico e o til é um traço que faz distinção entre certas letras hebraicas.


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

CONHECENDO E ENTENDENDO A BÍBLIA

O CASAMENTO NO ANTIGO TESTAMENTO

É importante para o estudante da Bíblia conhecer alguns costumes do povo bíblico conhecer melhor o plano de Deus exarado nas Escrituras Sagradas.

No Evangelho de Mateus 25.1, Jesus disse: "Então o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do esposo". Significa dizer que Jesus declarou que o reino dos céus será semelhante à um casamento, pois o que está contido no referido verso fazia parte do costume antigo do casamento.

No costume antigo do casamento, a Bíblia revela que a escolha da noiva era feita pelo pai do noivo. (Leia os textos a seguir: Gn 21.21; 24.38,46). Às vezes o filho escolhia, mas o pai dirigia as negociações (veja Gn 34.48; Jz 14.2). Somente em circunstâncias extraordinárias o jovem dirigia as negociações, como aconteceu com Jacó, que estava distante do pai (Gn 29.18). Havendo consentimento dos pais, o pai da moça declarava o valor do dote que teria que ser pago. Uma vez aceito pelo noivo, partia-se então para o contrato de casamento (Leia Gn 29.18; 34.11,12). A Bíblia apresenta Jesus como noivo e a Igreja com a noiva do Cordeiro. Neste caso, Jesus deixou a casa do pai e veio por amor nos resgatar, pagando o devido preço (Examine 1Co 6.20; 7.23; 1Pe
1.18,19; Ef 5.23-32). Segundo a tradição, no dia do contrato do casamento, os noivos tomavam um cálice de vinho, tipo da Santa Ceia que Jesus instituiu. Quando assentado à mesa com seus discípulos, tomou o cálice, dizendo: "Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue, que é derramado por vós" (Lc 22.20; 1Co 11.25).

Após o contrato, os noivos ficavam nas condições de desposados (Dt 20.7; Mt 1.18). O noivo se despedia para voltar depois de um determinado período, aí então receber a noiva por sua esposa. Assim Jesus, após ter pago o preço na cruz do calvário, se despediu, fazendo a promessa de voltar e nos receber (leia Jo 14.1-3; Lc 24.29).


No período de desposados, as comunicações eram feitas pelo chamado "Amigo do noivo" (Jo
3.29). Jesus constituiu o Espírito Santo como amigo do noivo, que somente no livro de Apocalipse, pelo menos sete vezes está registrado "Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz as igrejas" (Ap 2.7,11,17,29; 3.6,13,22). O Espírito Santo, portanto, é quem traz a mensagem do noivo para a noiva e também leva a mensagem da noiva para o noivo.

Enquanto os noivos estavam na condição de desposados, a lei exigia fidelidade (Dt 22.20,21,23,24). Da mesma forma o Senhor espera que sejamos fiéis e recomenda-nos: "Não ameis o mundo" (1Jo 2.15; Tg 4.4), e reclama quando o amor por ele esfria (veja Ap 2.4). A Bíblia diz que ele requer que cada um se ache fiel (1Co 4.2), porém se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo (2Tm 2.13). Ao aproximar o casamento, a noiva se preparava, se purificando. Vestia-se de branco e ornava-se (Is 61.10). Da mesma forma, a Bíblia registra que "Cristo amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, para a apresentar a si mesmo Igreja gloriosa, se mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível" (Ef 5.25,26,27). Quando o servo de Abraão encontrou com Rebeca, a noiva de Isaque, ele a adornou (Leia Gn 24.22). Tipo do Espírito Santo, que está adornando a Igreja com os seus dons para o encontro com seu noivo Jesus (1Co 12; Ap 21.2).


"Regozigemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória, porque vindas são as Bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou, e foi lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos" (Ap 19.7,8).


A festa do casamento era feita na casa do pai do noivo (Jz 14.10). Da mesma forma, o servo de Abraão levou Rebeca para a casa de Abraão (Gn 24.61). Por isso Jesus disse: "Na casa do meu Pai há muitas moradas" (Jo 14.2). Quando o cortejo nupcial chegava à casa do pai do noivo, havia um salão de festas preparado. Junto ao salão, um quarto nupcial, chamado na Bíblia "recâmara" ou "tálamo" (Jl 2.16; Sl 19.5), para onde os noivos se recolhiam. A festa durava sete dias (Jz 14.12), tipificando as Bodas do Cordeiro, que segundo as profecias Bíblicas das Setenta Semanas de Daniel, capítulo 9, será de sete anos.

A Noiva era apresentada aos convidados somente no sétimo dia, porque no encontro a noiva cobria-se com um véu. Exatamente por isso Jacó fora enganado por Labão (Gn 29.21-27). Por isso, o arrebatamento será invisível e somente na 2ª fase da vinda de Jesus será visível. A Bíblia diz: "Eis que vem com as nuvens e todo olho o verá" (Ap 1.7; Jd 14). A lua-de-mel durava um ano (Dt 24.5) tipificando o reino milenar de Cristo, que será mil anos de paz, quando reinaremos com Cristo (Ap 20.26). Aleluia!


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

terça-feira, 25 de maio de 2010

QUATRO CLASSES DE DIZIMISTAS NA IGREJA

PARTE 4 - FINAL

OS ANTIDIZIMISTAS MESQUINHOS E DERROTIDAS
Esta classe, lamentavelmente, é numerosa em nossas igrejas, e é nociva ao crescimento da Obra do Evangelho.

Eles são antidizimistas declarados, e são irredutíveis na sua atitude antibíblica e anticristã. São os únicos "entendidos" na matéria, apesar de que nada entendem a seu respeito. Arvoram-se de mestres e, capciosamente, levam muitos irmãos, em franco desrespeito aos preceitos bíblicos e à doutrina da própria igreja. Quando o pastor faz um sermão sobre o dízimo, esses crentes se insurgem contra ele e o combatem, às escondidas, aos "cochichos", dentro e fora do templo, ou nos encontros pelas ruas ou nas praças, mesmo pelas casas dos irmãos desprevenidos, sem nenhum preparo para combatê-los. E, em geral, eles conseguem colher muitos frutos do "joio" daninho que eles semeiam!

São os incorrigíveis derrotistas de todos os tempos, à semelhança dos 10 espias, enviados à terra de Canaã, pelo grande líder Moisés.

Quando se levanta uma campanha financeira qualquer para um fim específico, eles alarmam de modo agressivo, e dizem: "Nós não podemos, o povo é muito pobre, e a crise é tremendas. O que o pastor devia fazer - era levantar uma oferta para os pobres, que estão padecendo extrema necessidade".

E, diga-se, de passagem: Quando se promove uma campanha a favor dos pobres da igreja, ele negam - "pão e água" - e tratam mal a comissão da assistência social.

Quando um irmão compreende a doutrina bíblica da contribuição e se dispõe a pagar o dízimo, logo vêm esses comandos gratuitos, com a sua campanha negativa e destruidora, e falam com ousadia farisaica e carnal: "O irmão é um tolo; como é que você, sendo tão pobre, vai pagar o dízimo? O dízimo é da lei". E mais esta piada, satanicamente preparada: "O pastor só fala em dinheiro, por causo do seu bonito salário"!

E assim vão eles com a sua campanha sempre maldosa, anticristã e antibíblica, lastimavelmente destruidora, e sempre com a boca cheia de amor para com os pobres!

Ai da Igreja de Cristo, se todos os seus membros fossem desta espécie!

Não vêem essas pessoas que o Senhor Jesus elogiou, publicamente, o gesto da uma mulher, que era viúva e pobre, por ter dado NÃO SÓ O DÍZIMO, MAS TUDO QUANTO POSSUÍA, para o serviço de Deus?

Jesus aprecia mais a oferta do pobre do que mesmo as polpudas quantias do rico opulento.

Ninguém diga que é desperdício o que se dá para Jesus (Jo 12.4-8). Ele transform a oferta em bênção, e a reverte a favor do contribuinte. A viúva de Sarepta deu tudo quanto possuía ao profeta de Deus, e que maravilha! "Da panela a farinha não se acabou, e da botija ao azeite, não faltou; segundo a palavra do Senhor por intermédio de Elias" (1Reis 17.16).

Para avaliação do que temos escrito neste trecho, com o desejo de tornar o assunto mais objetivo e mais assimilável, façamos um resumo das quatro classes existentes na igreja:

- Os dizimistas fiéis;
- Os dizimistas infiéis;
- Os não-dizimistas liberais;
- Os antidizimistas mesquinhos e derrotistas.

Agora, respeitosamente, permita que lhe faça esta importante pergunta: À qual classes você pertence, meu irmão em Cristo? Onde você se ajusta, e se sente perfeitamente bem? Quais são os seus companheiros, na sustentação da Obra do Evangelho?

Onde você está enquadrado?

Na primeira classe? Na segunda? Na terceira? Ou, lastimavelmente, na quarta, que é a última, e que tem a desaprovação da igreja e o repúdio taxativo de Jesus, que disse: "Devieis fazer estas coisas, e NÃO OMITIR AQUELAS" (Mt 23.23)?

Pense e responda, em são consciência e com sinceridade, perante o altar de Deus!...

Fonte: Livro "Dízimos e Ofertas" / José Carlos de Oliveira - editora Vida, pág. 24 e 25;


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

Convenção e Exposição IEADAM 2010

De 22 a 29 de maio, ocorrerá a Exposição Cristã Norte 2010 que vai ser promovida pela Assembleia de Deus no Amazonas e debaterá o tema "Avivamento para Transformar o Planeta". Ao todo, haverá a apresentação de mais de 25 pastores e preletores de diversos países, apresentação de mais de 25 cantores e bandas de renome da música gospel e a maior feira de produtos e serviços evangélicos.

A Exposição Cristã Norte será transmitida em rede nacional pela Rede Boas Novas, RedeTV e TV Bandeirantes, via satélite pelo Jesus Sat e Maná Sat e, via internet, para todo mundo.

A expectativa de público para este evento é de um milhão de pessoas e mais de 50 milhões, que serão alcançadas pela mídia de comunicação em massa. Em 2006, mais de 600 mil pessoas participaram da Convenção da Assembleia de Deus no Amazonas. Já está confirmada a presença de mais de mil pastores do Amazonas, 200 de outros estados e 100 de outros países que irão prestigiar o evento.

Durante o dia, a Exposição Cristã Norte vai ocorrer no Centro de Convenções Canaã, localizado no Japiim, onde haverá estudos bíblicos, seminários, oficinas e outras atividades. É nesse local que ocorrerá a maior feira de produtos e serviços evangélicos do país, com mais de 50 estandes. Também vão ocorrer ações sociais com atendimento médico gratuito e da Justiça Itinerante, que vai prestar consultoria jurídica para a população em geral. À noite, mais de 25 shows dos maiores nomes da música gospel ocorrerão no Centro de Convenções de Manaus, o Sambódromo. A entrada para os shows é gratuita.

Estrutura do Sambódromo:

O Centro de Convenções de Manaus, o Sambódromo, receberá uma mega estrutura para os shows dos cantores e bandas nacionais e internacionais que irão se apresentar na Exposição Cristã Norte 2010. A entrada para os shows é gratuita.

Haverá uma arquibancada para um coral de duas mil pessoas com 21 lances de escadaria coberta; um palco de 140 metros quadrados para orquestra, banda, cantores e preletores; e um sistema de sonorização com quatro mesas digitais e 16 torres de delay com capacidade para 200 mil pessoas. Além disso, será montado o maior painel de Led e grid de iluminação da região Norte com luz fria, quente e moving lights.

Turismo cristã:

Para esse evento, foram criados diversos pacotes de "Turismo Cristã" com programação que envolve as atividades da Exposição Cristã Norte 2010 e passeios turísticos do Amazonas. Os pacotes estão sendo divulgados por agências de viagens de diversos países, principalmente, do Brasil. Há pacotes com passagem, hospedagem e vários passeios ecológicos.

Para consultar as opções, acesse: www.ieadam.com.br.

Atrações:

Pastores e preletores internacionais:

  • Filho Billy Gran, Paul Randerson, John King, Cesino Bernardino, Selvon Seebran, Claudio Freidzon, Aber Huber, Stuart McAlpine, Stuart McAlpine, Dinart, Myles Monroe e Ruth Monroe.

Pastores e preletores nacionais:

  • Silas Malafaia, Jonatas Câmara, Ana Eunice, Silmar Coelho, Jorge Tadeu, Gesiel Gomes, Jessé Maurício, Rebekah Câmara, Samuel Câmara, Messias dos Santos e Elizete Malafaia.

Cantores e bandas nacionais e internacionais:

  • Ron Kenoly, Lázaro, Fernanda Brum, Matos Nascimento, Elaine de Jesus, Ministério Boas Novas, Oseias de Paula, Kainon, Kleber Lucas, Aline Barros, Ludmilla Ferber, Paulo André, Cristina Mel, David Quilan, Banda Alive, Diante do Trono, Soraya Moraes

Cantores e bandas regionais:

  • Ana Queila, Marazona, Célia Mendonça, Andréia Costa, Nova Aliança, Frutificará, Eliseu Monteiro e Tenaz.

Sobre a Convenção Estadual da Assembléia de Deus no Amazonas, organizadora do evento:

Convenção Estadual da Assembléia de Deus no Amazonas (CEADAM) é uma sociedade civil sem fins lucrativos com jurisdição em todo território amazonense, com sede no complexo Canaã, situado na avenida General Rodrigo Octávio Jordão Ramos, 1655, bairro Japiim.

A Convenção tem o propósito de avaliar a eficácia do desenvolvimento evangelístico a cargo da igreja Assembleia de deus no Amazonas e das igrejas vinculadas e, traçar planos e diretrizes para exercícios futuros, tanto no plano espiritual quanto administrativo e social, decidindo ainda sobre questões de âmbito geral trazidas à decisão plenária da Convenção Estadual.

Além de ser o centro da Igreja no Amazonas, a Convenção tem a finalidade de administrar a parte espiritual e material da Igreja no Estado; autorizando ou consagrando novos obreiros, orientado pastores, definindo metas, administrando a criação de novos campos, mantendo o registro e o cadastro do obreiro, do campo e de todos os acontecimentos que ocorrem nas Igrejas no Estado.

Atualmente, em todo o Amazonas são mais de 650 pastores, 380 campos eclesiásticos e três mil templos, todos filiados e cadastrados na CEADAM. Bienalmente, esses pastores vêem à Manaus para a Convenção Geral, onde cada um representa sua Igreja e localidade, nenhum outro evento reúne representantes de 1000 (IBGE) localidades do Amazonas de uma só vez.

Fonte: Amazonas Notícias
Postado por Cristiano Bitencourt



Via: www.guiame.com.br

Para saber mais: www.ieadam.com.br/2010

segunda-feira, 24 de maio de 2010

QUATRO CLASSES DE DIZIMISTAS NA IGREJA

PARTE 3

OS NÃO-DIZIMISTAS LIBERAIS
Esta classe também existe. É uma classe rara, porém, autêntica e digna de nossa estima e consideração.

Conhecemos vários crentes assim. Eles não são contrários ao dízimo, não combatem os irmãos dizimistas, e não criticam o pastor quando faz sermão doutrinário sobre o assunto.

Eles não são dizimistas porque ainda não compreenderam a doutrina do dízimo, ou acham que não lhes é possível ter as finanças organizadas, ou por qualquer outro motivo que lhes pareça justo e aceitável.

Entretanto, diga-se a verdade. Eles são liberais e bom contribuintes! Sempre vivem de mãos-dadas com os irmãos dizimistas. São seus companheiros inseparáveis. Ajudam-nos, de bom humor, a levar a carga de Cristo.

Sem muito trabalho, esses não dizimistas liberais se tornariam dizimistas fiéis e exemplares. Eles constituem um terreno fertilíssimo, que precisa ser explorado, com zelo e muita habilidade. Havendo doutrinação adequada, de acordo com as normas da contribuição cristã, à Luz do Novo Testamento, a vitória será certa, hão há dúvida!

Fonte: Livro "Dízimos e Ofertas" / José Carlos de Oliveira - editora Vida, pág. 24 e 25;


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

sexta-feira, 21 de maio de 2010

A BÍBLIA E A IDOLATRIA

João 17.3 e 1 João 5.21

Milhões de pessoas no mundo praticam a idolatria, às vezes porque ignoram a verdade ou às vezes porque o deus deste mundo as cegou. Por isso resolvemos analisar a idolatria à luz da Palavra de Deus. O significa "idolatria"? "Idolatria" é o ato de prestar culto a criaturas ou objetos. É tudo aquilo - pessoas ou coisas - que indevidamente recebe a nossa devoção ou adoração.

I. O que Deus diz acerca da idolatria
  1. O ídolo não deve ser adorado; (Êxodo 20.4-6)
  2. O ídolo traz maldição divina a quem o faz; (Deuteronômio 27.15)
  3. O ídolo embrutece os que o fazem; (Salmos 115.8)
  4. O ídolo é mentira; (Jeremias 10.14)
II. O que Jesus e os apóstolos dizem acerca da idolatria
  1. Devemos adorar a Deus em Espírito e em verdade; (João 4.24)
  2. Devemos conhecer o Pai como o único Deus verdadeiro; (João 17.3)
  3. Devemos conhecer a Jesus com o único caminho e pora; (João 14.6; 10.9)
  4. Devemos orar apenas em nome de Jesus; (João 15.16; 16-23)
  5. Devemos servir somente a Deus; (Atos 17.25)
  6. Devemos fugir da idolatria; (1 Coríntios 10.14)
  7. Devemos guardar-nos dos ídolos; (1 João 5.21)
III. Sete motivos por que Deus aborrece a idolatria
  1. Porque Deus não compartilha a sua glória; (Isaías 42.8)
  2. Porque só o sangue de Jesus nos leva a Deus; (Hebreus 10.19)
  3. Porque nem Maria, nem os apóstolos e ninguém mais podem salvar; (Hebreus 7.25; 7.28; 4.1; 1 Timóteo 2.5)
  4. Porque só Jesus é o caminho; (João 14.6; Atos 4.12)
  5. Porque Jesus possui toda autoridade; (Mateus 28.18)
  6. Porque há um só Senhor; (1 Coríntios 8.6; Atos 2.36; Lucas 2.11)
Deus aborrece tanto a idolatria que preparou o lago de fogo também para os idólatras (Apocalipse 21.8).


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

PERSONAGENS BÍBLICOS

CORÁ

O levita Corá tinha ciúmes do poder de seus primos, Moisés e Arão. Ele era o líder do conselho de anciãos e incitou 250 outros líderes da comunidade a um levante contra Moisés, acusando-o de usurpar a autoridade do conselho (Nm 16). Ele desafiou a autoridade de Moisés como líder dos israelitas e reivindicou que toda a tribo de Levi, não apenas Arão e seus descendentes, tivessem autoridade sacerdotal.

Em sua rebelião, Corá foi acompanhado por dois outros líderes,
Datã Abirão, da tribo de Rúbem, que acusaram Moisés de tirá-los da segurança e do conforto no Egito, "de uma terra onde manam leite e mel" (Nm 16.13), apenas para submetê-los ao perigos e privações do deserto. É muito provável que, em troca de sua colaboração com os egípcios, eles desfrutassem de uma vida relativamente confortável antes do Êxodo.

Moisés recorreu a Deus para que mostrassem quem deveria manter a verdadeira liderança, e no dia seguinte todo o povo se reuniu ao redor das tendas de Corá, Datã e Abirão. Moisés orientara todos os que estavam contra ele a levar incenso, afirmando que Deus mostraria quem era seu e faria aproximar-se dele aquele que fosse santo, o homem de sua escolha. Moisés também ordenou que todos os que estivessem com ele se afastassem das tendas daqueles homens para que nação sentissem a ira de Deus. Quando os partidários de Moisés se agastaram, o chão se abriu e engoliu os três rebeldes, bem com as suas famílias e tudo o que possuíam. A seguir, veio fogo da parte do Senhor, consumindo os 250 homens que haviam se aliado a Corá.

Muitos ficaram furiosos com Moisés por causa do massacre, levantando-se novamente contra ele. Uma praga, porém, abateu-se sobre eles, vitimando cerca de 14,7 mil pessoas antes que Arão pudesse interceder por elas, restaurando a paz e a ordem. No entanto, Números 26.11 diz que a linhagem de Corá não foi interrompida, e anos mais tarde os seus descendentes se tornaram cantores hereditários e porteiros do templo.

Fonte: "Todos os Personagens da Bíblia de A a Z"/Richard R. Losch - Editora Tempus, pág. 104;


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

Frases Notáveis sobre a Bíblia


GOETHE

"Tenho lido muitos livros sagrados, mas este livro me lê."

DWIGT L. MOODY
"Creio que a Bíblia é inspirada porque ela me inspira."

PATRICK HENRY
"A Bíblia vale a soma de todos os outros livros que já se imprimiram."


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

quinta-feira, 20 de maio de 2010

QUATRO CLASSES DE DIZIMISTAS NA IGREJA

PARTE 2

OS DIZIMISTA INFIÉIS
Em toda igreja, há essa classe de gente.

São os que assume o compromisso, perante a igreja e perante Deus, de ser dizimistas, e pagam os seus dízimos por algum tempo com certa regularidade, mas depois negligenciam e, às vezes, desistem e quebram o seu voto pelo resto da vida.

Há negligência, nas coisas de Deus, é um grande pecado. Diz o salmista: "Oferece a Deus sacrifício de louvor, e paga ao Altíssimo os teus votos" (Sl 50.15).

Há muitos dizimistas negligentes e claudicantes, em nossas igrejas. São fracassados na vida, exatamente, na parte que deveria ser invulnerável- a religião. Por isso merecem as simpatias e as orações dos irmão mais experientados, na doutrina do dízimo.

São dizimistas infiéis também aqueles que entregam, apenas uma parte da sua renda líquida, e querem ver os seus nomes figurando na galeria dos dizimistas, na relação da tesouraria de sua igreja. Aspiram, condenavelmente, esta "vanglória" mas não são corretos. Dizimam uma parte da renda e ocultam a outra, quiçá, a maior: São os "Ananias" e as "Safiras" de sempre!

Mas não se deve esquecer Ananias e Safira, sua mulher, foram duramente disciplinados - na presença de toda a Igreja - para exemplo de quantos quisessem imitá-los. E ainda é assim. O Senhor não poupa aqueles que cometem o seu pecado. E a sua correção é severa e dolorosa. Às vezes, é pior do que própria morte.

Fonte: Livro "Dízimos e Ofertas" / José Carlos de Oliveira - editora Vida, pág. 23 e 24;


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

HOMENS E MULHERES EM LUGARES ESTRATÉGICOS

1. José no Egito; (Gn 42)
* Deus o usou para salvar Israel da fome.

2. A princesa, filha do rei Faraó no Egito; (Êx 2.1-10)
* Deus a usou para educar Moisés em toda a ciência do Egito.

3. Raabe em Jericó; (Js 2.1-16)
* Deus a usou para esconder os espias.

4. Jeoseba, filha do rei Jeorão; (2Rs 11.1-3)
* Deus a usou para salvar o rei Joás.

5. A viúva de Sarepta; (1Rs 17.8-16)
* Deus a usou para alimentar o profeta de Deus.

6. A menina escrava na de Naamã, chefe do exército da Síria; (2Rs 5.1-14)
* Deus a usou para a cura do seu senhor.

7. A rainha Ester na Pérsia; (Et 4)
* Deus a usou para a salvação da nação de Israel.

8. O copeiro Neemias, no palácio do rei Artaxerxes; (Ne 2)
* Deus o usou para a reconstrução do muro de Jerusalém.

9. Jônatas, filho do rei Saul; (1Sm 19.1-6)
* Deus o usou para o escape do rei Davi.

10. Abigail em Maom; (1Sm 25)
* Deus a usou para evitar a loucura do rei Davi.

11. O etíope Ebede-Meleque na casa do rei Zedequias; (Jr 38.7-13)
* Deus o usou para tirar o profeta Jeremias do calabouço.

12. O sobrinho de Paulo na fortaleza; (At 23.12-24)
* Deus o usou para livrar Paulo de uma conspiração de morte.

13. Barnabé na Igreja primitiva; (At 9.27-31)
* Deus o usou para introduzir Paulo na Igreja.

14. O rapaz que tinha 5 pães e 2 peixes; (Jo 6.9)
* Deus o usou para alimentar a multidão.


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

terça-feira, 18 de maio de 2010

ABIGAIL

Abigail era bela, encantadora e inteligente, ao passo que seu marido, Nabal, era intratável, egoísta e mal-educado. Ele era um rico fazendeiro que criava ovelhas. Enquanto Davi fugia da fúria paranóica de Saul, Nabal não passava de um comandante militar com um grande séquito de soldados. Saul incentivava o exército de Nabal a atacar os vilarejos ou fazendas para conseguir suprimentos. Davi, por outro lado, dependia das coisas que lhe eram oferecidas voluntariamente (1Sm 25.15).

Durante a estação da tosquia (uma época festiva, quando todos ficavam de bom humor) Davi enviou emissários a Nabal para pedir alimento para seus soldados. Grosseiro e arrogante, Nabal recussou-se a ajudar, apesar de os soldados de Davi, ao contrário do exército de Saul, nunca pegarem nada sem permissão, além de protegerem a fazenda de Nabal contra os soldados de Saul durante a estação de tosquia (1Sm 25.16). Quando ouviu os insultos de Nabal, Davi ficou furioso. Assim, reuniu seus soldados com o objetivo de punir Nabal e pegar o que precisava. Abigail foi ao encontro de Davi no caminho, ofereceu alimentos, desculpou-se pela rudeza de seu marido e pediu a ele considerasse que ela, e não Nabal, era culpada dessa ofensa (1Sm 25.24).

Davi ficou tão impressionado com Abigail que a abençoou e retrocedeu. Ela voltou para casa e contou a Nabal o que acabara de fazer. Ele ficou tão furioso que "sofreu um ataque e ficou paralisado como uma pedra" (provavelmente um ataque apoplético). Dez dias depois, ele morreu. Ao saber da morte de Nabal, Davi enviou uma mensagem a Abigail, pedindo-a em casamento. Ela aceitou prontamente e ficou ao lado dele durante as muitas dificuldades que o rei enfrentou. Ela lhe deu um segundo filho, Quileabe (também chamado Daniel [1Cr 3.1] ou Daluiah [2Sm 3.3; LXX]).
Davi também tinha uma irmã (ou, possivelmente, meia-irmã) chamada Abigail, mencionada apenas na genealogia (1Cr 2.16-17). Ela era mãe de Amasa, comandante do exército de Davi.

Fonte: "Todos os Personagens Bíblicos de A a Z" / Richard R. Losch - editora Templus, pág. 14 e 15;

Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

segunda-feira, 17 de maio de 2010

QUATRO CLASSES DE DIZIMISTAS NA IGREJA

Em relação à prática do dízimo, verificamos que há quatro espécies de contribuintes em cada igreja, talvez com raras exceções.
Vejamos quais são essas classes, a fim de que os contribuintes possam esclarecer a sua posição e fazer os reparos necessários, caso não estejam bem situados no plano divino da contribuição.

Parte 1

OS DIZIMISTAS FIÉIS
Estes são os heróis, os que sempre estão na vanguarda do trabalho. São os que mantêm, com vigilância, o equilíbrio financeiro da igreja. São "Os Trezentos de Gedeão", a rufar os seus tambores, incansáveis e invencíveis. São os que sempre dizem: "Nós podemos"!

Eles sempre dão, e sempre têm para dar. Quanto mais contribuem, mais sentem prazer em fazê-lo. Nada fazem pro constrangimento ou imposição. A sua contribuição é consciente e voluntária.

Eles pagam os dízimos, dão ofertas, prestam auxílios, fazem caridades com extremosa dedicação, e ainda ficam reservas para qualquer emergência.

Estes são, na realidade, os dizimistas fiéis, consagrados e piedosos. Devem merecer a estima do povo de Deus e devem ser imitados!

Fonte: Livro "Dízimos e Ofertas" / José Carlos de Oliveira - editora Vida, pág. 23;

Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

CURIOSIDADES BÍBLICAS


VOCÊ SABIA?

Quem o monte Hermom, com cerca de 3000 m acima do nível do mar, podia ser visto de muitas partes da Palestina, Síria, Arábia, Fenícia e Mediterrâneo. Considerado sagrado pelos pagãos, sua eternas neves que se espalham em longas fitas pelas encostas, seu degelo formava pequenos riachos que desciam pelos montes da Palestina. O monte Hermom tem um papel muito importante na formação do clima da região da Palestina. Funciona como um catalisador das correntes de ar quente é úmido vindas do Mediterrâneo e o precipitador das mesma em forma de orvalho denso em áreas mais próximas, daí escreveu Davi "Como o orvalho de Hermom que desce sobre os montes de Sião", Sl 133.3.

Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

A GRANDE VITÓRIA

1 João 5:4-5

Estamos vivendo numa época em que as pessoas lutam com todas as suas forças e usam de todos os meios para vencer. Esta luta, contudo, não é o bem combate da fé, e o resultado final não será a verdadeira vitória. Somente o cristão verdadeiro luta a boa luta por conhecer o segredo da grande vitória.

I. Quem vence o mundo?
1. O que é nascido de Deus; (v. 4; João 1.13)
2. O que é nascido da água e do Espírito; (João 3.3-5)
3. O que crê que Jesus é o Filho de Deus; (v. 5)

II. Qual é a grande vitória?
1. É a nossa fé (v. 4), através da qual recebemos:
a) A remissão de pecados num mundo pecaminoso; (Atos 10.43)
b) A paz num mundo conturbado; (Romanos 15.13)
c) A alegria num mundo triste e angustiado; (1Pedro 1.8)
d) O descanso num mundo agitado; (Hebreus 4.3; Mateus 11.28-29)
e) A esperança num mundo desesperançado; (Romanos 15.13)

2. Todas as coisas num mundo de escassez; (Mateus 21.22)
3. A vida eterna num mundo de morte; (João 5.24)

Somente a fé verdadeira dos que nasceram de Deus produz a grande vitória sobre a carne, o mundo e o diabo.

Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

O templo é casa de oração!

"Tendo Jesus entrado no pátio do templo, expulsou todos os que ali estavam comprando e vendendo; também tombou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos comerciantes de pombas. E Ele repreendeu-os: "Está escrito: 'A minha casa será chamada de casa de oração'; vós ao contrário, estais fazendo dela um 'covil de salteadores'"."Mateus 21.12-13, KJA

Jesus para quem não conhece o contexto histórico da época apresenta-se aqui como um causador de problemas, ou como muito "estudiosos" por aí dizem de sua figura como um agitador das massas.
Mas o contrário acontece neste episódio. Naquele momento o Jesus estava limpando o templo da corrupção formada pela venda de animais para sacrifícios.
Existia uma área no templo chamada de "grande átrio exterior dos gentios", uma área com mais de 50.000m²!
E mais a corrupção na qual viviam os sacerdotes e estes vendedores de animais, pois, as pessoas compravam os animais e algumas vezes os mesmos não eram mortos, e sim repassados aos vendedores para serem revendidos e com isso gerando lucros para ambos.
Esse tipo de comércio havia se transformado em algo tão rentável que se expandiu até o templo, o local de culto e sacrifício ao Senhor estava profanado pela ganância humana.
É uma experiência que devemos tomar para nossas vidas, não tomarmos o santo como profano, aquilo que é consagrado a Deus como se fosse para nossos negócios.
Infelizmente muitas igrejas de todos os ramos quando não direcionados por um homem de Deus permitem a utilização do templo para estes tipos de rituais que não condizem com as verdades bíblicas.
Deus não habita em casas feitas por mãos de homens, isso já sabemos, mas quando se constrói um templo e ele é consagrado ao Senhor, o mesmo passa a ser Dele!
Assim como nós, somos casas vivas do Espírito Santo, um vez consagrados não podemos ter espaço dentro de nosso coração para ganância, trocas, negociações e tudo o que concorre com o Espírito.
Veja bem o erro era de quem vendia, de quem comprava e de quem permitia! Se você participa disso você é conivente com o erro!

Deus quer que o respeitemos, respeitemos sua Casa de Oração!

Por Dc. Jonathas Januário Pereira

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Frases Notáveis sobre a Bíblia


W. H. SEWARD

"Toda a esperança de progresso humano depende da influência sempre crescente da Bíblia."


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

quinta-feira, 13 de maio de 2010

O MAIOR DIREITO DO HOMEM

1 Pedro 1.18-23

Fala-se muito em direitos humanos, reclama-se da exploração, do baixo salário e da falta de justiça. Reconhecemos que há muita injustiça entre as pessoas e que os direitos humanos não são respeitados. Entretanto, o maior direito do ser humano está sendo esquecido. A raça humana comete a maior injustiça quando deixa de receber o seu direito maior. As pessoas reclamam porque não lhes dão e rejeitam aquele que se lhes deu. Jesus comprou o direito do homem entrar na presença de Deus. O maior direito do homem é: ser salvo...

Qual é o maior direito?
- O direito do resgate; (v. 18)
- O direito da purificação; (v. 22)
- O direito à vida eterna; (João 3.16)
- O direito a árvore da vida; (Apocalipse 22.14)

Qual o preço desse maior direito?
- O preço do sangue de Cristo; (v.19; Apocalipse 22.14)
- O preço da obediência à verdade (v. 22)
- O preço do amor; (v. 20)

Como obter o maior direito?
- Pela fé e esperança em Deus; (v. 21)
- Pela regeneração mediante a Palavra de Deus; (v. 23)

Homem, ao aceitar pela fé o precioso sangue de Cristo, obedeça à verdade e receba o direito à vida eterna.

Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

quarta-feira, 12 de maio de 2010

A AVAREZA

Os avarentos querem fugir da responsabilidade de pagar o dízimo do Senhor, alegando que não existe a doutrina do dízimo no Novo Testamento. Estudemos o assunto em seus múltiplos aspectos:

1) Jesus ensinou pagar o dízimo (Mt 23.23; Mc 12.17).
Consideremos o ensino dos textos de Mateus e Marcos:
a- o dízimo, a fé, a misericórdia e o juízo fizeram parte da lei;
b- deviam continuar pagando o dízimo do endro, da hortelã e do cominho;
c- não deviam omitir a parte mais importante da doutrina, da fé, da misericórdia e do juízo;
d- a César pertencem os impostos e a Deus, o dízimo;

2) Semelhança da antiga Aliança, o Novo Testamento trata, não somente do dízimo, mas também de contribuição em geral e, de modo especial, muito além do dízimo. Vamos ler Atos 5.1-11:
Obs.: este sistema não permaneceu porque apareceram os exploradores Ef 4.28 e 2Ts 3.10. Os vangloriosos At 5.1-11.

3) O dízimo, antes e no tempo da lei, representa o DÍZIMO NO NOVO TESTAMENTO, ou tempo da graça.
a- Abraão pagou o dízimo a Melquisedeque, um símbolo de Cristo (Hb 7.4).

Fonte: Livro "Dízimos e Ofertas"/José Carlos de Oliveira - editora Vida, pág. 35;


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

terça-feira, 11 de maio de 2010

ELE É ETERNO

Deus não tem início nem fim. Ele é o único ser que existe por si mesmo. Ele existiu antes do tempo e da criação (Sl 90.2). Tudo o que é relacionado a Deus é "sempre" (Sl 102.12). Ele não teve juventude, não tem idade e jamais será idoso (Hb 1.10-12). "Eternidade" não é o mesmo que "longa duração", pois esta sugere um início e pressupõe uma relação entre tempo e eternidade. O tempo habita dentro de Deus. Ele o gera, afeta e controla, mas o tempo não tem poder sobre Deus (Sl 90.4-6).

Os atributos de Deus alimentam-se de sua eternidade. Como a eternidade não tem fim nem se desgasta, o mesmo ocorre com seus atributos (Is 40.25-28). Deus diz que seu amor é "eterno" (Jr 31.3).

A eternidade é a assinatura de Deus - é quem ele é (Is 63.16). Seu nome "Eu sou" expressa claramente sua existência incondicional e independente e abarca a idéia de sua presença contínua (Êx 3.14), porque ele simplesmente "é". Ao contrário de sua criaturas, limitadas pelo tempo e com vida breve passageira, o Criador é eterno. Tudo o que existe depende dele (Cl 1.15-17).



Fonte: "A Bíblia da Mulher" / editora SBB e MC - pág. 743;


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

A VOCAÇÃO SOBERANA E O PRÊMIO ETERNO

Filipenses 3.14

Deste a mais tenra idade os pais procuram incutir nos filhos ou transmitir-lhes uma vocação. É muito natural que cada pessoa vocacionada para determinada profissão comece a pensar na recompensa. Mas nem sempre os sonhos se realizam. O servo de Deus, porém, não acalenta apenas um sonho, mas confia plenamente no prêmio da soberana vocação. Aleluia! Desejamos ardentemente que muitos descubram o prêmio da soberana vocação.

1. Como é a vocação soberana?
- É uma vocação divina; (v.14)
- É uma vocação cristã; (Mateus 9.9)
- É uma vocação santa; (2Timóteo 1.9)
- É uma vocação celestial; (Hebreus 3.1)
- É uma vocação de esperança; (Efésios 4.4)
- É uma vocação soberana (excelsa, de cima, poderosa); (v.14)
- É uma vocação persistente; (1Coríntios 7.20)

2. A natureza do prêmio da soberana vocação
- É o alvo por excelência; (v. 14)
- É o próprio Cristo; (v. 14)
- É a vida eterna; (Mateus 19.27-29)
- É prêmio de riquezas; (Efésios 1.18)
- É o dom de Deus; (Romanos 6.23)

Deixe que a sua alma seja invadida pela luminosidade desse prêmio, a saber, a vida eterna. Receba a vocação soberana de Deus em Cristo Jesus.


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

Frases Notáveis sobre a Bíblia


CÉSAR CANTU

"A Bíblia é o livro de todos os séculos, de todos os povos e de todas as idades."

LORD TENNYSON
"A leitura da Bíblia já de si é uma educação."

U. S. GRANT
"A Bíblia é a âncora-mestra de nossas liberdades."



Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

sábado, 8 de maio de 2010

DÍZIMOS

"Trazei todos os dízimos à casa do tesouro para que haja mantimento na minha casa, depois fazei prova de mim, diz o senhor dos Exércitos" Malaquias 3.10

A palavra hebraica para "Dízimo" (Ma'Aser) significa literalmente "a décima parte".

Na lei de Deus, os Israelitas tinham a obrigação de entregar a décima parte das crias, dos animais domésticos, e dos produtos da terra e de outras rendas. O dízimo era usado para cobrias despesas do culto e o sustento de toda uma tribo, (Tribo de Levi).

Conforme os livros de Êxodo 19-5; Salmos 24,1; 50.10-12; Ageu 2.8, Deus é o dono de tudo, por isso somos chamados a dizimar ao Senhor.

O profeta Malaquias foi usado por Deus quando profetizou pra toda raça humana conforme. Ele usa taxativamente trazei todos dízimos à casa do tesouro. (Ml 3-10)

Os dízimos e as ofertas são as partes que Deus exige dos seu filhos, pois todas as coisa pertencem a Deus (Sl 24.1; Ag 2.8).

O dízimo é a décima parte daquilo que o Senhor nos dá através de vencimentos, salários, soldo, pró-labore, (no caso de empresário), Fruto da terra etc...

Se você acha que o seu dízimo pode e deve ser desviado para o que você deseja, ou dar para alguém que é pobre ou necessitado, aí é que está o seu erro, pois a Bíblia nos diz em Malaquias cap. 3 vers. 10, que:

"Trazei todos os dízimos à casa do tesouro de Deus" (Igreja).

O dízimo é estipulado em 10% (a décima parte). A oferta ou contribuição fica de acordo com a sua vontade ou possibilidade.

Deus é o dono de tudo (Ex 19.5; Sl 24; Ag 2.8), os seres humanos foram criados por ele, e a ele devem o fôlego de vida (Gn 1.26; 26.27; At 17.18), sendo assim ninguém possui nada, que não tenha recebido originalmente do Senhor (Jó 1.21; Jo 3.27).

Fonte: Livro "Dízimos e Ofertas" / José Carlos de Oliveira - editora Vida, pág. 7;


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

sexta-feira, 7 de maio de 2010

A soberania e a autoridade de Deus (lições bíblicas Jeremias)

A VISITA À CASA DO OLEIRO

OLARIA. (18.3a) O campo de barro onde os oleiros exerciam sua arte, ficava no sul de Jerusalém, além do vale de hinom (v.2; Zc 11.13 Mt 27.10).

(18.3b) Duas rodas eram usadas ou duas pedras a superior e inferior, os oleiros usavam enquanto faziam à cerâmica. A debaixo era movimentada com os pés, feita em forma de disco para fazer girar a de cima, para o molde do barro com os dedos do oleiro.

(18.4a) quando um vaso quebrava, não ia para o lixo, mas sim amassado e voltava à roda, iniciando a obra novamente, até tomar a forma que o oleiro tinha em mente. È isso que Deus declara ter poder para fazer com Israel.

(18.6a) Na profecia anterior, foi oferecida Jerusalém para sempre, a oportunidade de evitar o juízo e a longa linhagem de reis. Estas possibilidades eram possíveis desde que houvesse uma restauração sobre as ordens de Josias. Mas Jeoaquim arruinou tudo cometendo todo tipo de pecado.

A profecia ainda oferecia misericórdia se aceita com os termos de Jeová para moldar a nação. Israel rejeitou as condições imposta por Deus mediante Jeremias, e preferiram andar segundo seu coração (v12). Em seguida a profecia da botija quebrada, dava a entender o juízo e a destruição da nação. A lição do barro das mãos do oleiro fez Jeremias entender, que nem tudo estava acabado para a nação, e apesar da desobediência, seriam quebrados e restaurados.

(18.6b) Casa de Israel, neste caso seria Judá, as dez tribos tinham sido destruídas havia mais de 100 anos e não eram mais uma nação. Alguns estavam em Judá e ajudavam a formar o único reino de Israel.

A SOBERANIA DE DEUS

Existem diversas acepções teológicas e filosóficas a respeito do conceito de soberania. Na teologia filosófica, Deus é soberano porque existe antes de todas as coisas, conhece todas as coisas e pode todas as coisas, e está também no controle de todas as coisas. Na Bíblia, o conceito de soberania divina está bastante associado àquele de um rei celestial, cujas abas das vestes enchem o tempo (Is. 6). No Salmo 48.2 o Senhor é chamado de “grande Rei, cujo reino é eterno porque “reina soberanamente para sempre” (Sl. 29.9).

A Bíblia, a Palavra de Deus, nos ensina que Deus governa sobre tudo e sobre todos (I Cr. 29.11,12). Ele não apenas governa sobre todas as coisas, também está no controle delas (Jó. 42.2; Sl. 115.3; 135.6; Dn. 4.35). A explicitação da soberania de Deus na Confissão de fé de Westminster sumariza esse pensamento afirmando que, “desde toda a eternidade, Deus, pelo muito sábio e santo conselho da sua própria vontade, ordenou livre e inalteravelmente tudo quanto acontece”. Esse conceito, no entanto, tem sido levado a extremos e dado margem à uma visão equivocada da predestinação bíblica. Alguns estudiosos, em certos momentos, exageram na concepção de soberania, em outros, na liberdade do ser humano.

Quando se fala em chamada para a salvação, a primeira palavra que nos vem à mente é ‘predestinação’, que, de fato, se encontra na Bíblia, com destaque especial para o texto de Ef. 1.5-11, onde está escrito que “E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo…”. No grego, a palavra é proordzo e aparece seis vezes no Novo Testamento com o sentido de predestinar o qual significa, literalmente, “assinalar de antemão por conhecimento prévio”. Ao longo da história, muitas teólogos se debateram a respeito dessa doutrina. Destacamos, a seguir, algumas perspectivas em relação a essa doutrina:

1) Predestinação Incondicional – delineada por Calvino, a partir de Agostinho, que a definia como “o decreto divino com referência aos seres morais – os anjos e homens”.

A Confissão de Fé de Westminster a apresenta nos seguintes termos: “Pelo decreto de Deus e para manifestação da sua glória, alguns anjos e homens – são predestinados para a vida eterna, e outros preordenados para a morte eterna”;

2) Predestinação Restrita – desenvolvida por Jacob Arminius, que, na verda

de, era um seguidor de Calvino, que se distinguia do seu mestre ao defender que em relação à predestinação ou eleição, trata-se de algo mais ocasionado por parte do livre-arbítrio humano, do que ocasionada pela soberana vontade de Deus, diferenciando-se, assim, da incondicional que ensinava que a salvação humana depende de uma “eleição absoluta e soberana” exclusiva de Deus;

3) Predestinação Condicional – sob a influência arminiana, John Wesley defendia que a “predestinação é Deus designando de antemão para a salvação os crentes obedientes, não sem conhecer antecipadamente todas as obras deles, mas ‘segundo sua presciência’ dessas obras, ‘desde a fundação do mundo’

A palavra “predestinação” se encontra na Bíblia, mas não no sentido que alguns teólogos costumam atribuir. Proodzo, conforme apontamos anteriormente, significa, em grego, “conhecer de antemão” (Rm. 8.29; 11.2; I Pe. 1.20; II Pe. 3.17), muito mais do que “destinar com antecipação”, como se encontra na maioria dos dicionários.

A predestinação para a salvação, nesse contexto, é coletiva e está baseada na presciência divina (Ef. 1.5,11). O propósito de Deus, nesse ato, e no contexto do capítulo 9 de Romanos, não é negativo, mas positivo, diferentemente do que defendem os predestinacionistas incondicionais (Rm. 9.18). Segundo esse princípio, o da predestinação coletiva, vemos que Deus, em Cristo, escolheu a igreja (Ef. 1.11-13).

Deus deseja que todos os seres humanos sejam salvos (I Tm. 2.4-6; TT. 2.11; Hb. 2.9), por isso, todas as pessoas, de algum modo têm alguma iluminação da parte de Cristo para a compreensão da revelação (Jo. 1.9; 12.32). As passagens anteriormente citadas mostram que a expiação no sangue de Cristo tem aplicação universal, pois Ele morreu por todos (II Co. 5.15), portanto, todos quantos o receberem, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus (Jo. 1.11,12).

O CRENTE E A VONTADE DE DEUS

O profeta Jeremias recebe a missão de se dirigir à casa do oleiro, onde compreendeu u pensamento de Deus sobre transformação. As tarefas do oleiro moldando o vaso foram associadas por Jeremias ao trabalho de Deus na vida humana. O profeta assistiu com muita atenção o trabalho do oleiro. Percebeu que o oleiro não conseguiu fazer uma peça de cerâmica na primeira tentativa, fracasso que pode ter ocorrido diversas vezes. Isso foi falta de cuidado ou habilidade do oleiro? Fosse qual fosse a deficiência, o oleiro perseverou, transformando o barro noutra vasilha.

Semelhantemente o Senhor trabalha em nossa vida, e não encontra nenhuma resistência a não ser humana. Assim domina o material aperfeiçoando ao propósito do seu Espírito, transformando a massa num vaso humilde ou generoso. Se a vontade humana não reage de acordo com sua vontade, trona a ser moldado. Este ensino mostra um quadro vívido da soberania divina, sem negar a liberdade humana, conforme a filosofia raciocinada. Jeremias discerne a inferência ética e espiritual.

“Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? Diz o SENHOR; eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel” (Jr 18.6). O profeta entende a ação de Deus na vida de Israel. Se uma nação procede mal, é inevitável que Jeová se arrependa do bem que lhe prometeu em seu benefício.

A mensagem é clara. O exílio, eis que o novo molde em que a nação teria de ser reformada.

“Ora, pois, fala agora aos homens de Judá e aos moradores de Jerusalém, dizendo: Assim diz o SENHOR: Eis que estou forjando mal e formo um plano contra vós outros; convertei-vos, pois, agora, cada um do seu mau proceder e emendai os vossos caminhos e as vossas ações” (Jr 18.11).

O primeiro termo desta passagem chama a atenção para o processo inicial, e o outro para o processo mais contínuo. A moldagem imposta pela vontade do Senhor é impregnada de graça desde que o espírito nacional deixe de ser rebelde e corresponda e obedeça ao que Deus dele pretenda. Instruído pelo Senhor, Jeremias avisa Judá e Jerusalém sobre a maldade que representa o espírito de teimosia. O pecado do povo é grave e trágico, até os elementos da natureza podem ser citados como seus juízes.

Bibliografia

Bíblia Dake

Bíblia de Estudo Almeida

Novo Comentário da Bíblia (Vida Nova)

Ev. Geziel Silva Costa
visite

ELE É MISERICORDIOSO

A misericórdia difere da graça porque a graça dá o que não é merecido, enquanto a misericórdia não dá o que é merecido. A misericórdia é a compaixão em ação para com pecadores, que não têm nenhuma alegação nem direito de receber esse tratamento. "Merecer misericórdia" é uma contradição de termos (Ef 2.4-9).

A misericórdia é apenas para os pecadores. Os anjos não sabem o que ela significa, pois não precisam dela. A misericórdia é idéia de Deus (2Co 1.3). Ela está à disposição de todos, mas apenas por intermédio do sacrifício de Cristo na cruz.

A misericórdia de Deus é grande (1Rs 3.6), terna (Lc 1.78), abundante (1Pe 1.3) e eterna (Sl 103.17). A misericórdia está interligada com todos os demais atributos de Deus. A bondade do Senhor gera misericórdia (Ef 2.4-7); a santidade assegura sua integridade (Êx 34.6-7); a verdade garante sua confiabilidade (Is 16.5); o poder assegura sua duração (Sl 89.2); e a fidelidade reivindica sua constância (Sl 36.5).

As conseqüências da misericórdia são perdão (Is 55.7), restauração (Sl 51.2,10-11) e louvor daqueles que a recebem (Sl 89.1).

Fonte: "A Bíblia da Mulher" / editora SBB e MC - pág. 741;


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

UMA ESPERA OTIMISTA

Longanimidade abrange paciência, persistência, firmeza e tolerância. É uma reação ativa à oposição, não uma resignação passiva ao inevitável. Palavra importante tanto no hebraico como no grego, "longanimidade" é um atributo de Deus (Sl 86.15), um fruto do Espírito Santo (Gl 5.22) e uma atitude que todas as mulheres deveriam ter o desejo de refletir em sua vidas (1Co 13.4).

O apóstolo Paulo orou para que os amigos colossenses tivessem paciência, longanimidade e, também, alegria (Cl 1.9-12). Paciência (gr. hupomone, lit. "suportar sob") é carregar um fardo ou aflição e transformá-lo em glória. Essa palavra é usada é usada com mais freqüência para se referir a pessoas. O povo de Deus deve ser paciente com o próximo, principalmente quando enfrenta a adversidade (Rm 5.3-2). A paciência é considerada uma característica do verdadeiro amor (1Co 13.4,7).

"Longanimidade" (gr. makrothumia) é um atributo empregado com mais freqüência em relação a Deus. Sua raiz significa "deixar a ira longe enquanto for ofendido ou injustiçado". Só Deus pode ser totalmente longânimo. Só Ele é "tardio para se irar" (Sl 86.15; Jl 2.13). Os cristãos, porém, podem se tornar longânimos pelo poder do Espírito Santo. Crentes que andam no Espírito desenvolvem uma atitude de longanimidade que circunstância alguma é capaz de destruir e uma paciência que ninguém consegue derrotar (Ef 4.1-3).

Fonte: "A Bíblia da Mulher" / editora SBB e MC - pág. 740;


Pb. Donizeti (Um servo do Senhor Jesus a serviço do reino de Deus)

quinta-feira, 6 de maio de 2010

O que e como funcionava o Redil?

Sempre ouvimos em hinos ou lemos falando sobre a ovelha longe do redil.
O que é o redil?

Redil - o redil das ovelhas era um pedaço de terra cercado por um muro de pedras com apenas uma porta de entrada. À noite, o pastor ficava à porta contando uma a uma e depois se deitava atravessado na porta.
Assim, ele mesmo era a porta. E, por isso, Jesus disse: "Eu sou a porta das ovelhas" (Jo 10.7).
O pastor ficava exposto ao perigo, guardando as ovelhas. Você sabia?

Agora você sabe quem está a porta cuidando de você!

Por Dc. Jonathas Januário Pereira

Conselhos Bíblicos